MOSTRA DE FILMES EQUATORIANOS

download

 

18 de fevereiro a 16 de março de 2014

Ingressos: R$ 1,00 (inteira) / R$ 0,50 (meia)

Em parceria com o Conselho Nacional de Cinematografia do Equador (CnCine) e com a produtora Klaxon Cultura Audiovisual, o Cine Olido apresenta, entre os dias 18 de fevereiro e 16 de março, uma mostra de filmes equatorianos realizados nos últimos 10 anos (2003-2013). A programação reúne os principais títulos que foram produzidos após a aprovação, em 2006, da primeira lei de incentivo ao cinema no Equador – ato que marcou a retomada da produção no país. Apresentando alguns dos filmes mais premiados em festivais internacionais, que, em seus diversos gêneros, chamaram a atenção de especialistas do mercado e experimentaram ótimas bilheterias no Equador, a mostra oferece ao público a rara oportunidade de prestigiar essa cinematografia emergente, ainda pouco conhecida mesmo entre os cinéfilos.

Entre as atrações, está a produção considerada o marco zero da retomada: A que distância (2006), de Tania Hermida. Premiado em Havana (melhor diretor estreante) e Montreal (melhor longa de estreia), o filme teve distribuição em países como Espanha, França, Alemanha e Estados Unidos, conquistando ainda o posto de segunda maior bilheteria da história do cinema no país. Tania Hermida também assina a direção de mais uma obra que participa da mostra, Em nome da filha (2011), exibido na seleção oficial de filmes dedicados ao público jovem do Festival de Cannes (Cannes Ecran Junior) em 2012, e premiado nos festivais de Roma e Havana.

Sebastián Cordero é, talvez, o cineasta equatoriano mais consagrado e reconhecido internacionalmente e sua obra está representada por Pescador (2011), premiado em Guadalajara, San Sebastián e Cartagena. A seu lado, estão produções que revelaram jovens talentos, como Saudade (2013), de Juan Carlos Donozo Gomez, que acaba de estrear no país de origem e aguarda seu lançamento na Europa no Festival de Cinema Latino-Americano de Toulouse, Impulso (2009), de Mateo Herrera, que no mesmo festival, em 2011, recebeu o prêmio de Melhor Filme, e Melhor não falar de certas coisas (2012), de Javier Andrade, escolhido para representar o Equador na disputa do Oscar em 2013, o ano em que obteve o melhor resultado de bilheteria entre os filmes nacionais no país.

Completam a programação mais 9 títulos, entre os quais estão: Com meu coração em Yambo (2011), documentário que conquistou a marca de quarta maior bilheteria na história do cinema no país, e Sara, o espantalho (2007), de Jorge Vivanco, filme fantástico especialmente recomendado ao público infanto-juvenil.

Programação completa aqui.

Comentários