4º Festival Ibero-Americano de Teatro de São Paulo

Nesta quinta, 17 de março, o IV Festival Ibero-Americano de Teatro de São Paulo apresenta a peça brasileira “Rua do Medo”, que aborda com tirocínio tema caro aos moradores das grandes cidades da maioria dos países latino-americanos: a insegurança. De autoria de Leonardo Cortez e direção de Marcelo Lazzaratto, a obra se articula numa reunião de moradores que acaba em revolta dos participantes. Além de vítimas de ladrões, eles passam a se sentir ameaçados pela ambição ou ineficiência das empresas particulares de segurança, que tem ali um representante.

Em seguida, será a vez do esperado monólogo paraguaio “José Gaspar, La Soledad del Poder”. Interpretado por Jorge Ramos (foto acima), um dos mais importantes ator daquele país, José Gaspar trata da filosofia de vida e de governo do dr. José Gaspar Rodriguez de Francia, herói da independência e proclamado “Ditador Perpétuo do Paraguai”. A direção é de Hernan Jaeggi e a direção de Gustavo Illutovich.

A montagem argentina “Abanico de Soltera”, que será apresentada na sexta, 18,  é um mergulho sensível ao universo do poeta espanhol Federico Garcia Lorca, fuzilado pelos franquistas na Guerra Civil Espanhola. Suas palavras se fundem com a dança e objetos emblemáticos, por meio dos quais, a peça aborda temas seminais na obra lorquiana, como o amor desafortunado e o desafio à morte. Já a peça portuguesa “A humanidade é feia” passa-se num espaço confinado e de espera, onde os personagens então entre a vida e a morte. Uns disputam a morte como troféu, outros querem a vida que, se não lhes está a escapar, alguém tratará disso.

Confira a programação:

MOSTRA PRINCIPAL – AUDITÓRIO SIMÓN BOLÍVAR

17 de março – quinta-feira
19h00 / Plateia B – “Rua do Medo”, de Leonardo Cortez – Direção: Marcelo Lazzaratto – Cia. dos Gansos – BRASIL

21h00 / Plateia A – “José Gaspar (La Soledad del Poder)”, Hernán Jaeggi – Direção: Gustavo Ilutóvich  – Grupo teatral “Arte Total” – PARAGUAI

18 de março – sexta-feira
19h00 / Plateia B – “Abanico de Soltera”, de Andrea Juliá – Direção: Horácio Medrano – Cia. Tea Teatro – ARGENTINA

21h00 / Plateia A – “A Humanidade é Feia”, de Iñigo Ramirez Haro – Direção: João Craveiro – Cia Kind of Black Box – PORTUGAL

19 de março – sábado
19h00 / Plateia B – “Ya Lo Llamaremos”, de Rafael Pence – Direção: Rafael Pence – URUGUAI

21h00 / Plateia A – “Descomposición”, de Afonso Cárcamo – Direção: Alfonso Cárcamo – Colectivo Escénico Seres Comunes – MÉXICO

20 de março – domingo – ENCERRAMENTO
19h00 / Plateia B – “Boca de Ouro”, de Nelson Rodrigues – Direção: Eloísa Vitz
Cia. Grupo Gattu – BRASIL

21h00 / Plateia A – Cerimônia de Encerramento

21h15 / Plateia A – “Yo, Mono Libre”, de Ricardo Joven – Direção: Alfonso Plou – Cia. Teatro Del Temple  – ESPANHA

MOSTRA PRINCIPAL – PRAÇA CÍVICA

19 de março – sábado
18h00 – “Camiños Invisibles”, de Carina Casuscelli – Direção Artística Lenerson Polonini – Cia. Nova de Teatro – BRASIL

MOSTRA PRINCIPAL – SALA DOS ESPELHOS

20 de março – domingo
17h30 – “Hilda Hilst, O Espírito da Coisa”, de José Gaspar Guimarães – Direção: Ruy Cortez com Rosaly Papadopol – BRASIL

Melhor atriz pela APCA, em 2009, Rosaly Papadopol faz sua a voz de Hilda Hilst, levando ao palco poesia, pensamentos, histórias e o que Hilda criou sobre si em si mesma. José Mora Fuentes presidente do Instituto que leva o nome da escritora deu a consultoria literária. A direção é de Ruy Cortez.

ENTRADA FRANCA
(programação sujeita a alteração)

Mais informações: http://www.memorial.sp.gov.br

Comentários